Eleições e redes sociais: a vez da internet

Campanha dos três S: suor, saliva e sola de sapato. Este é o panorama para as eleições municipais, em outubro. Pode ser a eleição das redes sociais.

eleições e redes sociaisCom menos dinheiro, uma vez que as doações de empresas estão proibidas; e com menos tempo - 45 dias em vez dos três meses habituais, especialistas em marketing eleitoral e analistas políticos garantem que a internet será fundamental.

A verba promete ser curta. Os candidatos terão que gastar 70% do que gastaram na eleição anterior. Como é praxe - ilícita, diga-se de passagem - declarar que se arrecadou bem menos do que gastou, as campanhas tendem a ficar mais pobres.

Até 2012 a campanha nas redes sociais era vista como "complementar". Partidos e políticos jogavam pesado nos programas de TV. Já em 2014, o Datafolha mostrou que 39% dos eleitores pesquisados disseram que a internet influenciou na escolha do candidato. Entre os pesquisados, 19% disseram que a internet "influenciou muito."

39% dos eleitores disseram que a internet influenciou seu voto

Para este ano, segundo a legislação eleitoral, "não configura propaganda antecipada a menção à pretensa candidatura na internet (pré-candidatura), bem como a participação em debates e entrevistas na web ou mesmo a divulgação de posicionamentos sobre questões políticas nas redes sociais."

No site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) você acessa o calendário e a legislação eleitoral 2016

http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2016/eleicoes-2016

É sempre bom lembrar que a lei proíbe campanhas pagas nas internet. De acordo com a legislação "Nem propaganda em sites de pessoas jurídicas, com ou sem fins lucrativos, e em sites oficiais ou hospedados por órgãos ou entidades da administração pública."

Equipe

No entanto, uma campanha nas redes sociais exige planejamento e acompanhamento. Do contrário, não atingirá o eleitor. Uma dica importante é que é preciso alinhar sua prática, sua conversa (posts), com seu público e, principalmente, com seu perfil. É preciso que isso fique bem claro. Do contrário, parecerá fake (falso)

Uma equipe digital pode parecer cara para os padrões atuais, mas ela será indispensável para elaborar estratégias, propor ações e antecipar tendências, conversar com o eleitor, fazer diferente. E, sobretudo, monitorar o desempenho do candidato.

Assista a um debate sobre as eleições e redes sociais, na campanha de 2014, no programa 'Sala de Imprensa' da TV Assembleia
http://www.almg.gov.br/acompanhe/tv_assembleia/videos/index.html?idVideo=857061&cat=91

No Comments Yet.

Leave a comment