Quarta Revolução Industrial trará desemprego

web - internetA Quarta Revolução Industrial, tema central do Fórum Econômico Mundial, realizado em Davos, na Suíça, lidou com duas questões inquietantes: o uso da tecnologia e o aumento do desemprego.  Por quarta Revolução Industrial, entende-se o processo de desenvolvimento da robótica, da inteligência artificial e da biotecnologia cuja previsão é eliminar 7,1 milhões de empregos durante os próximos cinco anos, nas maiores economias mundiais, segundo um relatório do Fórum Econômico Mundial (WEF). Foram estudados países como os Estados Unidos, Alemanha, China, França e Brasil.

Os especialistas apontam novas tecnologias automatizam e tornam redudantes algumas tarefas humanas. Assim, as máquinas substituem trabalhadores com segurança e aumento na produtividade, principalmente na fabricação de produtos e cuidados com a saúde. Este tipo de mudança vai afetar profundamente não só o mercado de trabalho, como os modelos empresariais nos próximos cinco anos. Mas se há perda de empregos, por outro lado aumentará a demanda por profissionais qualificados, como analistas de dados e especialistas em representantes de vendas.

E o Brasil está preparado para a quarta Revolução Industrial? O país continua bem abaixo de outros países em rankings que qualifica os estudantes do mundo inteiro. Os brasileiros são muito fracos na capacidade de navegar sites e compreender leituras na internet, ficando à frente apenas da Colômbia e dos Emirados Árabes em um ranking com 31 países.

Anteriores

As três revoluções industriais anteriores tiveram início nos países desenvolvidos, chegando com atraso ao Brasil. A primeira foi a iniciada no fim do século 18, quando água e vapor foram utilizados para mover máquinas na Inglaterra. A segunda veio do emprego de energia elétrica na produção em massa de bens de consumo. A terceira é a do uso da informática, iniciada em meados do século passado.

(Com agências France Presse e BBC)

No Comments Yet.

Leave a comment